domingo, 20 de fevereiro de 2011

Meio careta


Participei de um concurso de mini-contos de amor, recentemente promovido pela Companhia das Letras. Ganhei... mais um texto no arquivo. Deixo-o aqui para que os leitores o (a/re)provem.


Trinta e cinco anos. Carreira profissional bem sucedida. Faltava um filho. Mas...
— E quem precisa de marido pra isso?! – protestavam as amigas.
— É que eu sou meio careta... – justificava sem jeito.
Até que um dia, na sala de bate-papo, rolou algo legal com um advogado baiano. Na terceira semana, o primeiro encontro foi marcado: no feriado da Páscoa, em Salvador. Um mês depois, ela esperou entre o celular e as doses de whisky. Ele não apareceu, ela apagou o número. O garçom entregou um bilhete. Três mesas depois, um sorriso e o olhar fixo...
Dali a seis meses, o casamento foi marcado. Em abril, quando completassem um ano de namoro. Ela continuaria em João Pessoa; ele, no Rio.
— Pra quem era meio careta... – as amigas não deixaram por menos.
— E o amor? – quis saber a irmã, para lá de romântica.
— Ah, isso se aprende com o tempo!
Dois anos e nenhum filho depois, o primeiro divórcio.
— E agora, Rose? – quiseram saber as amigas.
— Quem disse que eu preciso de marido?! – desdenhou confiante.
E todas ergueram um brinde:
— À vida!


Os mini-contos vencedores no blogue da Cia. das Letras.


3 comentários:

  1. Interessante... e parabéns pelo concurso Thiago...

    ResponderExcluir
  2. Obrigado, Jãn! Não ganhei o prêmio, mas ganhei um texto novo. Forte abraço e volte sempre ao blogue.

    ResponderExcluir
  3. Ah! Sim rsrsrs... pode deixar, voltarei sempre...

    ResponderExcluir