terça-feira, 3 de maio de 2011

Para Fernando Sabino


Em 2003, escrevi um poemeto em homenagem a Fernando Sabino logo após sua morte. Graças a vovô José, ele foi parar no Jornal da Paraíba, tornando-se minha primeira publicação. O curioso é que o poema saiu na página de assuntos políticos. Entre notícias de acordos e traições, apareceu ali o pipi de Fernando Sabino. Agora, declamo-o (depois de algumas reformas) para o Programa Diversidade:




Esse e outros poemas no livro poesia natimorta e versos sobreviventes, à venda na Livraria Cultura (Campina Grande), em Zarinha (João Pessoa) ou pelo e-mail fook_braga@yahoo.com.br.

4 comentários:

  1. Hehehe...

    Na verdade, meu caro, eles é que tinham um microfone! :)

    ResponderExcluir
  2. Que agradável surpresa saber que você escreve tão bem. Parabéns! Continue assim, e não desanime, você tem futuro na arte da expressão escrita.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado, meu caro! Suas palavras são estimulantes. Volte sempre ao blogue.

    ResponderExcluir