sábado, 28 de novembro de 2015

o exemplo da barba



às vezes deixo a barba estar na cara
dizendo “queira ou não, o tempo passa
a tinta seca e cai, o piso racha
a telha quebra e o mato engole a casa”


quem passa perto e vê o estado fala
“é bom ter mais cuidado na fachada
passar uma mão de cal, limpar a casca
senão ladrão se achega e o bem se afasta”


em outros tempos, eu fazia sala
ouvia a ladainha e até deixava
pitaco rolar solto no que usava
de creme e lâmina à loção pós-barba


porém cansei de dar a cara às aspas
e agora digo a quem a mim se atraca
que a casa é minha e cuido eu da calha
— se não gostar, que bata em retirada!


*

poemeu recente, entre outros exemplos que estão por vir pra deixar mães, sogras e avós de cabelo em pé.

Nenhum comentário:

Postar um comentário