domingo, 27 de dezembro de 2015

selfie



não subo
em pau
de sebo
nem monto
em bode
guisado
não calço
chinela
de couro
nem durmo
em rede
de renda
não danço
forró
e frevo
nem canto
repente
na feira
não pago
promessa
pra padre
nem rezo
pra virgem
santíssima
não trago
peixeira
nos cós
nem mato
cachorro
no grito
mas se
preciso
eu subo
até
           em pau
           de selfie


*

Mais, no livro, se a saga por uma boa editora terminar bem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário